Solar

Brasil tem mais de 10 mil instalações de geração distribuida

Sunday, 14 de May de 2017

Brasil tem mais de 10 mil instalações de geração distribuida

O número de conexões de micro e minigeração de energia superou 10 mil instalações no Brasil em maio, informa a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Atualmente, são 10.385 micro e mini usinas que possuem potência instalada de 113.195,48 Quilowatts (kW).

A fonte mais utilizada pelos consumidores-geradores é a solar com 10.280 adesões, seguida da eólica com 50 instalações. 

No ranking estadual, o estado com o maior número de micro e minigeradores é Minas Gerais (2.225 conexões), seguido de São Paulo (2.094) e Rio Grande do Sul (1.096).

Acesso dos consumidores

A geração de energia pelos próprios consumidores tornou-se possível a partir da Resolução Normativa Aneel nº 482/2012. A norma estabelece as condições gerais para o acesso de micro e minigeração aos sistemas de distribuição de energia elétrica e cria o sistema de compensação de energia elétrica, que permite ao consumidor instalar pequenos geradores em sua unidade consumidora e trocar energia com a distribuidora local.

De acordo com o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, “além das vantagens para o consumidor, também são relevantes os benefícios que a geração distribuída traz ao sistema elétrico: redução de perdas e o custo evitado de ampliação do sistema, pois você gera junto à unidade de consumo; o aumento na segurança do abastecimento; e o ganho sob o aspecto ambiental, pois são projetos totalmente sustentáveis”.

Como funciona?

A resolução autoriza o uso de qualquer fonte renovável, além da cogeração qualificada, denominando-se microgeração distribuída a central geradora com potência instalada de até 75 Quilowatts (kW) e minigeração distribuída – aquela com potência acima de 75 kW e menor ou igual a 5 MW (sendo 3 MW para a fonte hídrica), conectadas à rede de distribuição por meio de instalações de unidades consumidoras.

Quando a quantidade de energia gerada em determinado mês for superior à energia consumida naquele período, o consumidor fica com créditos que podem ser utilizados para diminuir a fatura dos meses seguintes.

O prazo de validade dos créditos é de 60 meses e eles podem ser usados também para abater o consumo de unidades consumidoras do mesmo titular situadas em outro local, desde que na área de atendimento de uma mesma distribuidora. Esse tipo de utilização dos créditos é chamado de “autoconsumo remoto”. Confira aqui mais informações sobre micro e minigeração.

Linha de crédito financia sistemas de microgeração em Maringá (PR)

A Sala do Empreendedor, projeto que materializa a simplificação dos processos de abertura, baixa e funcionamento das empresas em Maringá (PR), disponibiliza linha de financiamento para micro e pequenas empresas investirem na aquisição de equipamentos para geração de energia a partir de fontes renováveis. O recurso é uma linha crédito denominada Fomento Energia e é viabilizada pelo Governo do Estado do Paraná, por meio do Fomento Paraná.

Essa linha permite financiar a aquisição e a instalação de todos os componentes de sistemas de mini e microgeração de energia elétrica fotovoltaica, eólica ou de biomassa, bem como sua instalação e/ou substituição de lâmpadas e equipamentos por outros com maior eficiência energética.

Podem obter financiamento pessoas jurídicas (empresas) dos setores da indústria, comércio ou prestação de serviços, de micro ou pequeno porte. Projetos de maior valor, para empresas de médio porte, poderão ser atendidos com recursos repassados por terceiros, como o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Informações sobre porcentual financiável, valores máximos de financiamento e custos podem ser obtidos clicando aqui, ou diretamente na Sala do Empreendedor, localizada no térreo do Paço Municipal, Avenida XV de Novembro, 701. 



Marcadores: