Outros

Tesla entrega seu primeiro carro elétrico 'popular', Model 3

Sunday, 30 de July de 2017

Tesla entrega seu primeiro carro elétrico 'popular', Model 3

A Tesla entregou nesta sexta-feira (28/7/3017) seu primeiro modelo de carro elétrico "popular", o Model 3, nos Estados Unidos. A montadora especializada nesse tipo de veículo até agora só tinha lançado modelos mais caros. O Model 3 concorrerá com o hatch Bolt, da Chevrolet (lançado neste ano nos EUA), e com o Leaf, da Nissan (elétrico mais vendido no mundo).

As primeiras 30 unidades do Model 3 entregues foram adquiridas na pré-venda aberta em abril de 2016, a maioria por funcionários da Tesla. Para reservar o carro, que custa a partir de US$ 35 mil (cerca de R$ 110 mil, era preciso dar um sinal de US$ 1 mil. Segundo o presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, foram feitas meio milhão de reservas

O Model 3 "básico" pode rodar 345 km sem precisar recarregar a bateria; há versão mais cara, de US$ 44 mil, com autonomia maior (500 km), segundo Musk.

O Chevrolet Bolt atualmente é vendido nos EUA por US$ 29.995 (cerca de R$ 94 mil), mas pode ficar mais barato se o estado onde o consumidor mora der incentivos a carros elétricos, como acontece na Califórnia. O Leaf sai por US$ 30.680 (R$ 96 mil). Nenhum deles é vendido no Brasil.

Lançamento esperado

Bastante esperado por investidores, o lançamento do Model 3 é considerado o passo mais importante na história da Tesla.

O novo carro elétrico visa expandir o mercado da montadora, que ainda é considerada pequena frente às demais americanas: General Motors (dona da Chevrolet), Ford e Chrysler.

Em valor de mercado, no entanto, ela já chegou a superar as grandes. Com produção de 83 mil veículos em 2016, a empresa alcançou um valor de cerca de US$ 55 bilhões - chegando a estar temporariamente à frente da GM.

De acordo com Musk, mais 100 unidades do Model 3 serão produzidas em agosto e outras 1.500 em setembro. O objetivo é alcançar 5 mil unidades semanais neste ano e 10 mil em 2018.

Analistas indicam que, com esse lançamento, a Tesla pode estar transformando o futuro da indústria automobilística. Gene Munster, da empresa de pesquisa Loup Ventures, acredita que ela pode fazer pelo setor automobilístico o que a Apple fez pelos celulares e eletrônicos.

O pesquisador entende que a Tesla vai protagonizar "mudanças de paradigmas" no ramo de carros elétricos ou autônomos, que podem alterar o setor inteiro.

O analista da Loup Ventures avalia que a montadora pode começar atingir a rentabilidade em 2021 e que 2023 será "um ano excepcional para a empresa", com 1,6 milhão de veículos produzidos.

Chefão da Tesla, Elon Musk pretende desvincular, pouco a pouco, a indústria dos combustíveis fósseis, associando-a à energia solar e a outros investimentos de transporte.

O bilionário é dono da empresa de energia solar SolarCity e atualmente constrói baterias recarregáveis para abastecer casas e carros. Além disso, ele tem um projeto de transportar pessoas em túneis por meio de cápsulas, a uma velocidade quase supersônica. É o chamado Hyperloop.

Como é o Model 3

A Tesla até então vendia apenas dois modelos de luxo de seus carros elétricos: o sedã Model S e o SUV Model X, cujos preços começam em cerca de US$ 80 mil (R$ 250 mil).

Planejado para ser menor, mais simples e mais fácil de montar que seus irmãos de luxo, o Model 3 também tem preços competitivos no mercado automobilístico. O veículo oferece menos opções que os precedentes, mas tem a mesma tecnologia de condução semiautônoma dos demais.

Quer dizer que ele consegue rodar sozinho dentro de certos limites. O sistema que permite isso é chamado na Tesla de Autopilot, e foi o centro de uma polêmica com a morte de um motorista nos EUA, em 2016. A investigação concluiu que não houve falha no sistema.

A Tesla se preocupou também com outro grande problema dos carros elétricos, a autonomia da bateria: o Model 3 "básico" tem autonomia menor que a do Bolt (382 km), mas maior que a do Leaf (172 km, que deve ser ampliada na próxima geração, que será apresentada em setembro). A versão mais cara, com autonomia de 500 km, coloca o carro à frente de seus principais concorrentes.



Marcadores: