Outros

Estados da Amazônia terão doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia em 2012

Friday, 07 de October de 2011

Estados da Amazônia terão doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia em 2012

A Rede Bionorte (Rede de Biodiversidade e Biotecnologia da Amazônia Legal) aprovou junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) o doutorado em Biodiversidade e Biotecnologia com conceito 4. Para 2012 devem ser oferecidas 50 vagas para qualificação no doutorado cuja sede inicial será na Universidade Federal do Amazonas (UFAM), em Manaus (AM).

A pró-reitora de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) professora Drª Áurea Regina Ignácio comemorou a aprovação do doutorado em rede e destacou que as agências de fomento Capes e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), vem implementando ações em Rede, com o desenvolvimento de relevantes projetos de pesquisa e a implantação de programas de doutorado, tanto na região Norte quanto na região Centro-Oeste do Brasil.

A pró-reitora afirmou ainda que "a Unemat, contando com o esforço de seu corpo docente, está presente nestas ações, participando efetivamente na Rede Bionorte". A professora Drª Carolina Joana da Silva, da Unemat, é a coordenadora do programa em Mato Grosso, e o professor Dr. Evandson dos Anjos é o vice-coordenador. Os professores foram eleitos pelos professores participantes do programa como professores de Mato Grosso que pertencem ao quadro permanente.

A participação da Unemat na Rede Bionorte é bastante efetiva tanto que a instituição já tem um projeto aprovado e que está em desenvolvimento juntamente com as Universidades Federal de Rondônia (UFRO), Estadual do Maranhão (UEMA) e Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), na bacia do Guaporé e também no Parque Estadual do Juruena.

A proposta do doutorado, que tem um foco regional de forma a integrar os estados da região Amazônica e também é multi-institucional e interdisciplinar , visa a conservação do bioma e o desenvolvimento de um setor industrial baseado na biodiversidade Amazônica. O Programa conta com um corpo docente de 99 doutores (sendo 89 do quadro permanente e 10 colaboradores) de 18 Instituições dos 9 Estados da Amazônia Legal Brasileira. O fato de ser composto por instituições de vários estados implicará que sua sede seja itinerante, mudando de instituição a cada quatro anos.

As instituições participantes do Programa de doutorado da Rede Bionorte são: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA), Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Universidade Federal do Acre (UFAC), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal de Rondônia (UFRO), Universidade Federal de Roraima (UFRR), Universidade Federal de Tocantins (UFT), Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e Centro Universitário do Maranhão (Uniceuma).

Universidade do Estado de Mato Grosso



Marcadores: Amazonia, florestas, biodiversidade, REDD+, sustentabilidade