Eólica

Gigante eólica chinesa quer ser loja de apps do mundo da energia

Friday, 21 de July de 2017

O CEO Lei Zhang apresentou a visão de um "ecossistema" global de energia em que parques solares e eólicos, usinas de energia, distribuidoras, grandes clientes de eletricidade e todos os desenvolvedores de aplicativos e software que os respaldam estão conectados uns aos outros em uma plataforma digital única. E, claro, a Envision forneceria a plataforma.

A empresa quer servir como "facilitadora", disse Zhang, em entrevista, em São Francisco, onde anunciou uma aliança com empresas como Microsoft e Accenture que promoverá a digitalização do setor de energia. O sistema tem por objetivo "conectar muitos ativos ao redor do mundo para que qualquer desenvolvedor de aplicativos possa se conectar como na Apple Store", disse Zhang. "Nós os estamos ajudando a alcançar mais clientes."

Esta é uma possível solução para o setor notoriamente fragmentado chamado de Internet das Coisas, que se expande rapidamente para o setor de energia, permitindo que fornecedoras e clientes de energia monitorem dados em tempo real e controlem as operações usando dispositivos. Essas tecnologias estão dando às pessoas mais poder sobre sua demanda energética e podem acelerar a adoção de recursos eólicos e solares entregando a investidores, bancos e seguradoras as informações de que precisam para fazerem apostas sensatas, disse Zhang.

Embora seja mais conhecida por seu negócio de energia eólica, a Envision oferece há anos uma plataforma para geradoras de energia como parte de sua unidade de serviços digitais. Entre as desenvolvedoras que se conectaram a ela estão a Sonnen e a AutoGrid. O sistema já gerencia cerca de 100 gigawatts em recursos energéticos, sendo a maior parte recursos eólicos, solares e de armazenagem, segundo Zhang.

O objetivo da Envision agora é "ir além das energias renováveis, ir além da geração", disse ele. "Estamos pensando nisso de forma holística -- geração, distribuição, consumo."

Quanto ao negócio de energia eólica, Zhang afirmou que a Envision está a caminho de bater um recorde de novas encomendas e instalações neste ano e que deverá superá-lo em 2018. "Ainda estamos em um estágio de rápido crescimento", disse ele. "Estamos muito otimistas com o negócio eólico offshore" na China.

Zhang disse que vê o México como um mercado eólico internacional particularmente atraente. "Os retornos são altos" para a Envision lá porque poucas concorrentes podem oferecer os serviços de software, hardware e financiamento de que o mercado precisa, disse ele. Ele descreveu o setor de energias renováveis do país como "complicado e também promissor", como uma indústria que ainda está nos estágios iniciais de desenvolvimento.



Marcadores: