Biomateriais

Plástico de etanol brasileiro será matéria-prima de rolha de vinho nos EUA

Sunday, 09 de February de 2014

Plástico de etanol brasileiro será matéria-prima de rolha de vinho nos EUA

Um plástico feito à base de etanol de cana-de-açúcar, produzido pela brasileira Braskem, será usado pela empresa americana Nomacorc na fabricação de rolhas de vinho. A Nomacorc é líder mundial no segmento.

O material Polietileno I´m greenTM é chamado de "plástico verde" porque tem como parte da matéria-prima uma planta, o que contribui para reduzir a emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera.

O material também é reciclável e, como tem características do polietileno tradicional, seu uso não exige adaptações de maquinário dos fabricantes.

Como rolha de cortiça

Rolhas feitas de plástico não são incomuns no mercado e não alteram o sabor do vinho, diz a sommelier Alexandra Corvo.

Segundo a especialista, elas costumam ser usadas em vinhos para consumo no dia a dia. Nos vinhos com potencial de envelhecimento, é preciso usar a cortiça porque ela permite a entrada controlada de oxigênio, o que ajuda a melhorar o produto.

A Braskem e a Nomacorc, porém, afirmam que as rolhas de "plástico verde" apresentam o mesmo desempenho em controle do oxigênio das rolhas de cortiça.

A sommelier Alexandra Corvo diz que esse é um diferencial importante, caso elas sejam usadas em vinhos que serão envelhecidos. "A entrada de uma quantidade microscópica de oxigênio serve para ´temperar´ os vinhos com potencial de envelhecimento, que são minoria no mercado", afirma.

Alternativas à rolha tradicional

A procura por alternativas à cortiça, segundo ela, tem sido comum porque, atualmente, cerca de 3% dos vinhos vendidos no mundo têm rolhas contaminadas por tricloroanisol (TCA). Essa contaminação é repassada para a bebida, afetando seu odor e sabor.

"A rolha de plástico é interessante porque evita esse tipo de contaminação", diz Alexandra Corvo.

O "plástico verde" é identificado pelo selo I´m green TM. A Braskem não soube informar se haverá a venda, no Brasil, de vinhos com a rolha feita do material.

Outras empresas já usam o material em embalagens, como Electrolux (fabricante de eletrodomésticos), L´Occitane (cosméticos) e Embalixo (sacos de lixo).

UOL Notícias



Marcadores: