Biomassa

Embrapa e CNA lançam Projeto Biomas

Saturday, 27 de February de 2010

Embrapa e CNA lançam Projeto Biomas

Com investimento garantido de R$ 20 milhões nos próximos nove anos, a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançaram o Projeto Biomas. Uma iniciativa inédita que vai permitir que o Brasil vença o desafio de, ao mesmo tempo, preservar o seu enorme patrimônio ambiental e manter a liderança global na produção agropecuária.
"Vamos mostrar ao mundo que o Brasil não é apenas um grande produtor de alimentos, mas que apresenta também uma produção rural embasada em técnicas científicas e ambientalmente sustentáveis", afirmou a presidente da CNA, senadora Kátia Abreu.
O Projeto Biomas vai estabelecer uma rede de experimentação de abrangência e porte inéditos no País. Em todos os seis biomas brasileiros serão instaladas unidades de demonstração tecnológica, nas quais serão apresentados os resultados de estudos e pesquisas que resultem em modelos que conciliem produção e preservação ambiental.
As bases do projeto começaram a ser construídas a partir do segundo semestre do ano passado, quando a CNA firmou parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, o que permitiu a execução dos trabalhos em conjunto com a Embrapa. A unidade Embrapa Florestas, de Colombo (PR), vai liderar as pesquisas.
A fase inicial do projeto terá duração de nove anos, e conta desde já com aporte de R$ 20 milhões da CNA. Nesta primeira fase, serão realizados estudos específicos para todos os seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. As soluções apontadas vão levar em consideração também as exigências das legislações estaduais e federais, o que é uma característica inédita do projeto. O objetivo não é apenar promover a pesquisa, mas construir soluções práticas que permitam ao homem do campo recuperar áreas frágeis das propriedades rurais e, ao mesmo tempo, gerar renda.
Serão formadas parcerias, pulverizando as pesquisas por todo o País com o apoio de diversas instituições. “Vamos mobilizar cientistas de várias entidades de pesquisa do País”, destacou Kátia Abreu. O trabalho envolverá mais de 200 pesquisadores."
O diagnóstico regionalizado, em um segundo passo, permitirá identificar as potencialidades e fragilidades das paisagens rurais em cada bioma do País. A terceira etapa do Projeto Biomas envolverá a implantação de uma rede de experimentação nacional, em áreas que operarão como projetos-piloto.
“Precisamos produzir mais alimentos, pois cerca de um bilhão de pessoas passam fome ao redor do mundo, até mesmo no Brasil Mas também não podemos abrir mão de nossas florestas, da nossa biodiversidade. O Projeto Biomas vai compatibilizar essas duas vocações do nosso País”, disse Kátia Abreu. A construção desse novo modelo que alia produção e preservação será indispensável para o posicionamento do Brasil no mercado internacional, avalia a CNA.
“A sustentabilidade será um requisito fundamental para que o agronegócio brasileiro conquiste novos mercados. É uma exigência do consumidor”, destacou a senadora.

Embrapa



Marcadores: biomassa, meio ambiente, biomas, Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa, Pantanal