Biocombustíveis

LS9 procura usina no Brasil para produzir diesel de cana

Wednesday, 10 de February de 2010

LS9 procura usina no Brasil para produzir diesel de cana


A empresa de biotecnologia norte-americana LS9 está procurando parcerias com usinas do setor sucroalcooleiro no Brasil para produzir diesel a partir de cana-de-açúcar, de acordo com afirmação do CEO da companhia, Bill Haywood. Segundo ele, o Brasil será a base da LS9 para testar a nova tecnologia desenvolvida pela empresa, sediada na Califórnia.
A LS9 anunciou, na semana passada, a descoberta de um método de produção revolucionário e de baixo custo para transformar a celulose contida na biomassa em combustíveis renováveis em um processo que envolve apenas uma fase. Haywood informa que a LS9 já está em negociações com algumas usinas no Brasil para produzir o diesel a partir de cana. Uma dessas empresas é a usina Jalles Machado, localizada em Goianésia, Goiás.
Haywood explica que a expectativa da LS9 é de possuir pelo menos uma unidade produzindo o diesel a partir de cana comercialmente no Brasil já no início de 2013. Entretanto, unidades poderão produzir em escala menor já a partir de 2010. "Nós estamos investigando o mercado brasileiro e estudando a melhor forma de parceria a ser realizada", disse Haywood.
Segundo ele, o volume de investimentos necessário será determinado em função do tamanho da produção a ser realizada, o que será definido no decorrer nos próximos seis meses. O objetivo, segundo o executivo, é encontrar o parceiro ideal para uma implementação rápida e segura.
Para Haywood, o Brasil é o lugar ideal para a implantação da nova tecnologia da LS9 porque une o menor custo de produção de cana-de-açúcar do mundo com a tecnologia de produção de combustível renovável a partir de cana que possui também um custo baixo. "O fato da transformação da biomassa em combustível ser efetivada em um processo de apenas uma fase é uma vantagem competitiva bastante importante", disse.
Por meio desta nova tecnologia, que usa microorganismos específicos para fermentar a celulose contida na biomassa e mesmo no caldo de cana, a LS9 pretende produzir diesel renovável (para substituir o mineral), biodiesel , combustíveis para aviões e também produtos químicos com maior valor agregado. A tecnologia para produzir estes combustíveis renováveis de segunda geração foi desenvolvida em uma parceria entres cientistas da LS9, da Universidade da Califórnia e do Departamento de Energia dos Estados Unidos. Ontem, a LS9 anunciou que adquiriu uma fábrica localizada na Flórida onde será realizado a produção inicial de combustíveis renováveis através da nova tecnologia desenvolvida pela empresa. A unidade deverá produzir entre 227,3 mil e 454,6 mil litros de diesel renovável a partir do final de 2010. Segundo Haywood, este nível de produção irá permitir a viabilidade comercial deste diesel renovável, que já possui marca registrada de UltraClean Diesel. Também na unidade da Flórida a matéria-prima a ser utilizada é derivada de cana-de-açúcar.
No Brasil, a usina Jalles Machado, localizado em Goianésia, em Goiás, foi uma das usinas procuradas pela LS9. "Estamos analisando a proposta feita pela LS9 para produzir o diesel de cana aqui", disse Henrique Penna de Siqueira, diretor da Jalles. Segundo ele, os executivos e cientistas da LS9 visitaram a usina em outubro do ano passado e ofereceram a parceria. Siqueira não revelou os detalhes da proposta mas disse que uma unidade modelo está sendo projetada aqui no Brasil para ser adaptada à usina Jalles Machado para a produção do diesel a partir de cana. Siqueira disse que as negociações ainda não estão fechadas mas a usina foi escolhida por sua localização estratégica e grande disponibilidade de matéria-prima a um baixo custo. Na safra 2009/10, a Jalles Machado processou, de abril a novembro de 2009, 2,6 milhões de toneladas de cana e produziu 84 milhões de litros de etanol, 173,5 mil toneladas de açúcar e 128 mil megawatt/hora de energia elétrica.

BiodieselBr



Marcadores: etanol, cana de acucar, cana, cana de açucar, cana-de-açúcar, renováveis, diesel, celulose