Biocombustíveis

171 usinas já aderiram a Protocolo Agroambiental

Tuesday, 09 de February de 2010

171 usinas já aderiram a Protocolo Agroambiental


Nos últimos três anos, 171 usinas já assinaram o Protocolo Agroambiental, que estabelece uma série de compromissos e diretivas técnicas relacionadas às indústrias sucroenergéticas do Estado de São Paulo. De dezembro de 2009 a janeiro de 2010, o aumento da adesão foi de 7,55% com a inclusão de 12 usinas.
"Estamos bastante motivados com o crescimento destes números de forma consistente, o que obviamente implica em uma série de compromissos importantes para a nossa indústria," avalia o assessor de responsabilidade ambiental corporativa da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Daniel Lobo.
Firmado em 2007, o Protocolo detalha, por exemplo, procedimentos para a antecipação legal do fim da colheita de cana com o uso de fogo até 2014 para área mecanizáveis e 2017 para áreas mais inclinadas, hoje consideradas não mecanizáveis.
De acordo com estudos da Única, até dezembro de 2017, somente em relação à queima da palha da cana, serão 8,5 milhões toneladas de CO2 que deixarão de ser emitidas com o fim do uso do fogo.
Estima-se que a redução da queima da palha da cana e a co-geração nas usinas do Estado, juntamente com a manutenção e recuperação de matas ciliares, evitarão que 62,5 milhões de toneladas de dióxido carbônico (CO2) sejam emitidas até 2017.
Quando surgiu, o Protocolo foi criticado por ser de adesão voluntária. Sua consolidação mostra-se hoje um importante instrumento de avaliação do desempenho ambiental do setor. "O tempo está mostrando que a idéia era boa e os resultados são reais," acrescentou Lobo.
Ele lembrou ainda que o Protocolo vem gerando outros resultados positivos, entre eles o fomento à pesquisa para o aproveitamento energético da palha da cana e a busca por uma transição do sistema de colheita de cana queimada para a colheita cana crua, em especial no caso dos pequenos e médios plantadores de cana com áreas de até 150 ha.
É crescente também a participação de empresas do setor em programas de requalificação de mão-de-obra para garantir a empregabilidade após o fim da queima.
Em julho deste ano a Unica publicará a versão 2010 do seu relatório de sustentabilidade no modelo GRI (Global Reporting Iniciative, na sigla em inglês). Na nova edição constarão os números atualizados referente às áreas mecanizadas, matas ciliares e uso de água.
De acordo com Lobo, os dados consolidados serão apresentados com todas as usinas signatárias do Protocolo e que são associadas da Única. Também constarão no relatório as iniciativas sociais das usinas associadas.

União da Indústria de Cana-de-Açúcar - Unica


 



Marcadores: cana, cana-de-açúcar, cana de açucar, renovaveis, sustentabilidade, ambiental, etanol