Biocombustíveis

Petrobras e sucroalcooleiras unificam projetos de etanolduto

Thursday, 18 de November de 2010

Petrobras e sucroalcooleiras unificam projetos de etanolduto

Petrobras, Camargo Correa Óleo e Gás S.A., Copersucar, Cosan, Odebrecht Transport Participações S.A. e Uniduto Logística formaram uma associação para estabelecer um sistema integrado de distribuição de etanol, que pode incluir um alcoolduto conjunto. Segundo um Termo de Compromisso divulgado pela Petrobras, todas as empresas serão associadas para o desenvolvimento, construção e operação de um sistema logístico multimodal para transporte e armazenagem de etanol.
O acordo é resultado de estudos preliminares conjuntos da PMCC Soluções Logísticas de Etanol S.A, da qual são acionistas a Petrobras e Camargo Correa, a Uniduto, cujos acionistas são empresas sucroalcooleiras, e a Odebrecht.
A associação visa implementar um único projeto de transporte e armazenagem de etanol. O sistema deverá reduzir os custos para as exportações do biocombustível, estimulando as vendas externas.
A Petrobras, por meio da PMCC, a Uniduto e a Odebrecht, por meio de sua controlada ETH, tinham projetos distintos de um alcoolduto, que ligaria as novas fronteiras agrícolas da cana, no Centro-Oeste do Brasil, aos portos exportadores. As empresas vinham negociando uma associação para o projeto há algum tempo.
Com a associação, os projetos serão unificados. O traçado original do projeto da Uniduto Logística, de Goiás a Paulínia, deverá se manter.poderá ser mantido.  Este projeto previa a construção de um corredor dutoviário de 612,4 quilômetros, interligando 46 municípios do Estado até o terminal portuário, com capacidade para escoar 16,6 bilhões de litros de etanol por ano.
A empresa Uniduto Logística foi criada em 2008 e que reúne 80 usinas associadas, ligadas a dez grandes grupos produtores de etanol. Entre os principais associados estão, além dos já citados, o grupo São Martinho, Santa Cruz, São João e a Bunge.  A partir de Paulínia, havia expectativa de que o combustível seria escoado até Ilha D´Água (RJ), em dutos adaptados de outros combustíveis da Petrobras.
Agora, esse pedaço a partir de Paulínia será repensado.c Os dois projetos de dutovia para etanol, o da Uniduto e o da PMCC, já preveem a integração com modais hidroviário e ferroviário, modelo que deve ser estendido para a nova sociedade.



Marcadores: cana-de-açúcar, cana, açúcar, etanol, biocombustíveis, renováveis