Biocombustíveis

Unidades de observação de pinhão-manso são implantadas em 5 estados

Thursday, 07 de October de 2010

Unidades de observação de pinhão-manso são implantadas em 5 estados

Começou no dia 30 de setembro a segunda fase do projeto de implantação das Unidades de Observação (UOs) de pinhão-manso da Embrapa. Cinco unidades foram instaladas simultaneamente em Santa Teresa (ES), Piracuruca (PI), Wanderlândia (TO), Ribas do Rio Pardo (MS) e Jales (SP). Uma Unidade adicional será estabelecida em Patos (PB), quando as chuvas começarem naquela região.
A ação faz parte de uma parceria entre a Associação Brasileira de Produtores de Pinhão-Manso (ABPPM) e a Embrapa Agroenergia. Cabe à Embrapa dar o suporte técnico-científico e realizar o planejamento experimental das UOs e à ABPPM viabilizar a infra-estrutura, materiais e mobilizar produtores necessários para a condução das atividades de campo.
Nas UOs – com área aproximadamente de 2 hectares cada uma - serão analisados diferentes sistemas de cultivo, materiais genéticos e arranjos para a produção de biodiesel. Também serão coletadas informações que poderão auxiliar em um futuro zoneamento da cultura, explica o pesquisador Bruno Laviola, coordenador do estudo por parte da Embrapa Agroenergia.
Este programa tem como objetivo a comparação de resultados experimentais obtidos com metodologia padronizada, em diferentes estados brasileiros por meio da coleta sistemática de dados, a fim de contribuir para definição de um sistema sustentável de cultivo e identificar variedades de alta produtividade adaptadas a diferentes regiões do Brasil.
"Espera-se que no médio-prazo as regiões onde as UOs estão instaladas tornem-se centros de referência e de treinamento da cultura e promovam a expansão de área plantada" salienta o Diretor Técnico da ABPPM, Pedro Burnier.
De acordo com Burnier, os associados interessados em participar desse programa devem se comprometer com os custos de instalação e manutenção de sua respectiva Unidade de Observação. Além disso, os produtores devem enviar quinzenalmente os dados das Unidades, visando o acompanhamento dos resultados do cultivo.
"Outro estudo que estamos realizando é do Ciclo de Vida do Pinhão-Manso, ou seja, coletamos os dados para calcular o balanço energético da produção do biodiesel e a emissão de gases de efeito estufa em todas as etapas da cultura, desde o plantio até à utilização do biodiesel como combustível", diz Laviola.

Embrapa Agroenergia



Marcadores: biocombustíveis, pinhão manso, jatropha, renováveis, biodiesel