Biocombustíveis

China sequencia o genoma da mandioca

Friday, 05 de February de 2010

China sequencia o genoma da mandioca

A China completou o sequenciamento do genoma de três variedades da mandioca, que é usada para produzir etanol, afirmaram cientistas do Instituto de Biologia da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas Tropicais.
As variedades sequenciadas foram são a Ku50, a W14 (mandioca original) e a CAS36 (mandioca doce). Os mapas do genoma das três variedades deverão estar completos em março, disse Peng Ming, chefe do Instituto de Biologia.
O sequenciamento do genoma pode revelar a planta da mandioca como fonte de energia de biomassa. Também permitirá lançar as bases para aumentar a habilidade da mandioca para crescer em terra estéril e sua resistência contra seca.
A China diz estar ser a primeira na pesquisa genética na mandioca. O sequenciamento cobriu mais de 95 por cento dos genes das três variedades de mandioca. Os Estados Unidos cobriram até o momento apenas 65 por cento de uma variedade, disse Peng disse. O cientista assegura que nenhum outro país publicou pesquisa do sequenciamento tão amplo do genoma da mandioca.
Originária do Brasil e do Paraguai, a mandioca é extensivamente cultivada no sul da China como alimento, e como uma fonte nova de energia de biomassa.
O maior produtor maior de mandioca é o Brasil, seguido pela Tailândia, Nigéria, Zaire e Indonésia. Mas aTailândia é a maior exportadora, com a maior parte exportada para a Europa.

Agência de notícias Xinhua



Marcadores: biomassa, mandioca, etanol