Biocombustíveis

UE, Brasil e Moçambique assinam acordo de bioenergia

Tuesday, 13 de July de 2010

UE, Brasil e Moçambique assinam acordo de bioenergia

A União Europeia e o Brasil vão assinar com Moçambique um acordo para desenvolver projetos de bioenergia e biocombustíveis no país africano. A assinatura está prevista para ocorrer durante a cúpula de líderes europeus e brasileiros em Brasília.
Estimulado pela alta demanda de biocombustíveis da UE e as metas de expansão da produção do Brasil, o acordo com Moçambique é visto em Bruxelas e em Brasília como o primeiro passo para a cooperação no desenvolvimento de projetos de energia renovável na África.
Sob o acordo, a UE e o Brasil iniciarão estudos sobre como desenvolver melhor os projetos de bioetanol, biodiesel e bioenergia em Moçambique, que se tornou o maior produtor de biocombustíveis do continente nos últimos anos.
"O acordo fará parte de uma cooperação mais ampla entre a UE e o Brasil com a África, que esperamos levará a um acordo com a União Africana", disse uma autoridade da UE.
O bloco europeu precisa de biocombustíveis para atingir sua meta de fornecimento de 20 por cento de suas necessidades energéticas a partir de fontes renováveis até 2020. Unindo-se ao líder mundial de bioetanol, o Brasil, aceleraria a criação de um novo e mais barato fornecedor na África.
Diferentemente do bioetanol brasileiro, sujeito a pesadas tarifas de importação na UE, o biocombustível produzido na África receberia impostos mínimos.
As novas bases de produção na África beneficiariam os produtores de biocombustível brasileiros, como a Cosan e o grupo produtor de etanol e cana-de-açúcar Copersucar, disseram diplomatas brasileiros. Tais empresas ainda precisam do selo de aprovação da UE para garantir que o biocombustível africano se enquadre nas duras regras europeias de proteção do meio ambiente.

Reuters



Marcadores: cana-de-açúcar, cana, bioetanol, biodiesel, biocombustíveis, bioenergia, renováveis, 2020