Biocombustíveis

Guarani adquire a Usina Mandú

Tuesday, 15 de June de 2010

Guarani adquire a Usina Mandú

A Açúcar Guarani S.A., uma subsidiária da Tereos Internacional, celebrou um contrato com os acionistas da Usina Mandú S.A. para adquirir integralmente a unidade industrial processadora de cana-de-açúcar, localizada na região noroeste do Estado de São Paulo, por R$ 345 milhões.
A Usina Mandú foi inaugurada em 1980 por fazendeiros de Orlândia, Barretos e Guaíra. Com instalações industriais de ponta e uma área agrícola privilegiada, a Mandú dobrou sua capacidade de produção nos últimos 5 anos, passando de 1,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2004/2005 para 3,5 milhões de toneladas nesta safra 2009/2010.
A aquisição é outro passo na estratégia da Guarani para a ampliação de sua atuação na indústria de cana-de-açúcar do Brasil. Com a aquisição, a Guarani eleva sua estimativa de processamento para 20,6 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2010/2011. A Mandú tem um perfil de produção de 60% etanol e 40% açúcar, e estima produzir aproximadamente 200.000 toneladas de açúcar, 175.000 m3 de etanol e cogerar 12 MW de energia elétrica nesta safra.
Localizada na mesma região que as outras seis unidades industriais da Guarani no Brasil, em uma das mais favoráveis regiões para o plantio e cultivo de cana-de-açúcar, a proximidade da Mandú com as unidades São José, Severínia e Vertente está em linha com a estratégia da Guarani e deverá gerar significativos ganhos em sinergias.
A aquisição foi celebrada pela subsidiária da Guarani, a Cruz Alta Participações S.A., uma sociedade formada em 51% pela Guarani e 49% pela Petrobras Biocombustível, conforme parceria estratégica de R$ 2,2 bilhões celebrada em acordo de investimentos concluído entre Tereos Internacional e Petrobras Biocombustível há um mês, em 30 de abril de 2010.
Alexis Duval, Presidente do Conselho de Administração da Guarani e responsável pelas atividades internacionais do Grupo Tereos declarou: “A aquisição da Mandú mostra a forte atuação que a Guarani pretende ter na consolidação do setor de cana-de-açúcar brasileiro. Esta transação é o primeiro passo concreto da nossa parceria estratégica celebrada com a Petrobras Biocombustível e ilustra claramente a estratégia de investir na realização de aquisições e no crescimento orgânico da Guarani”.
“A eficiência operacional da Mandú e as sinergias geradas pela proximidade com as nossas outras unidades industriais fazem desta uma transação muito positiva para a Guarani e seus acionistas”, declarou Jacyr Costa Filho, Diretor Presidente da Guarani.
Na opinião dos fundadores da Usina Mandú, Francisco Marcolino Diniz Junqueira e Roberto Diniz Junqueira Filho, "a opção pela Guarani justifica-se pela política de valorização do produtor rural, a mesma praticada pela Mandú nos últimos 30 anos. Assim, formamos uma companhia agrícola para sermos os maiores fornecedores da Mandú e usarmos a nossa experiência para ajudar a Guarani a expandir sua presença na região, consolidando nosso modelo de parceria".

Açúcar Guarani



Marcadores: cana-de-açúcar, cana, biomassa, biocombustíveis, etanol