Biocombustíveis

Tecnologia da Ford pode aumentar competitividade do etanol

Thursday, 14 de November de 2013

Tecnologia da Ford pode aumentar competitividade do etanol

A chegada da tecnologia de injeção direta de combustível aos carros flex, existente há vários anos para veículos movidos a gasolina, é uma inovação "em grande estilo" que será introduzida no Brasil pela Ford. Com esta observação, o consultor em Tecnologia e Emissões da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Alfred Szwarc, definiu o lançamento do Duratec Direct, motor com injeção direta desenvolvido pela montadora para funcionar também com o etanol.

“A injeção direta melhora o consumo e a dirigibilidade e reduz as emissões de poluentes, além de não necessitar de sistemas auxiliares de partida a frio com o biocombustível de cana, representando uma mudança no patamar tecnológico existente no País,” explicou.

Lançado oficialmente no final de setembro, o motor Duratec 2.0 Direct Flex equipa o novo Focus Sedan, aperfeiçoando o rendimento e aproveitamento o máximo de energia, com eficiência e economia. Criado pelos engenheiros da Ford brasileira, o sistema permite um gerenciamento eletrônico apurado da dosagem de combustível no motor. Outra inovação é o sistema de ignição, que garante uma partida rápida em qualquer condição, sem a necessidade de recursos adicionais, como o 'tanquinho' que ainda equipa diversos modelos flex.

Para Szwarc, este importante passo na direção da modernidade tecnológica tem potencial para fazer com que o consumo de etanol fique mais competitivo frente à gasolina. Segundo dados da Ford, a relação de consumo entre os combustíveis está hoje mais favorável ao fóssil, algo que Szwarc acredita que possa ser invertido, favorecendo o etanol.

“A tecnologia permite avanços, de modo que as características que distinguem o biocombustível renovável dos demais, como a maior octanagem e maior calor latente de vaporização, e os benefícios ambientais resultantes, possam ser plenamente aproveitados,” afirmou.

Unica



Marcadores: