Biocombustíveis

Nova frota de ônibus roda com diesel de cana

Tuesday, 06 de December de 2011

Nova frota de ônibus roda com diesel de cana

A cidade de São Paulo recebeu nesta segunda-feira (5/12) 80 novos ônibus que circularão com uma mistura de 10% de diesel de cana-de-açúcar ao B5 (adição de 5% de biodiesel ao diesel), que permitirá reduzir em 9% os poluentes emitidos, em comparação com os veículos movidos a diesel comum.(de origem fóssil).

A medida tem como objetivo dar continuidade ao Programa Ecofrota lançado em fevereiro deste ano, cuja meta é reduzir progressivamente o uso de combustíveis fósseis no transporte público de São Paulo. A cerimônia foi realizada no estacionamento do centro de exposições do Anhembi, na Zona Norte.

Os ônibus foram adquiridos pela empresa Santa Brígida, que opera linhas na região noroeste da capital. O diesel de cana é produzido e fornecido pela empresa Amyris.

“Essa é mais uma iniciativa para melhorar o ar de São Paulo relacionada à circulação de ônibus. Já temos outros combustíveis alternativos implantados e que também têm contribuído para termos uma cidade menos poluída", afirmou o prefeito de S. Paulo, Gilberto Kassab. "A nossa expectativa é de que em poucos anos tenhamos 100% da frota movida por combustíveis menos poluentes.”

De acordo com a SPtrans, outros 80 carros iguais aos entregues nesta segunda-feira devem começar a circular até o final do mês. O secretário municipal de transportes, Marcelo Cardinale Branco, explicou que a aquisição desses veículos está baseada no PCPV (Plano de Controle de Poluição Veicular), que prevê que toda a frota da capital, de 15 mil ônibus, opere com combustíveis menos poluentes até 2018.

- O diesel de cana-de-açúcar é um produto novo, que nós testamos em três veículos de forma experimental . Os testes foram bem sucedidos e mostraram, além de redução da emissão de poluentes, um bom rendimento e custos semelhantes de manutenção.

De acordo com o vice-presidente de negócio de ônibus da Mercedes-Benz (empresa que produziu os veículos), Ricardo José da Silva, é possível adaptar os veículos que já circulam pela cidade para que possam circular com o novo diesel, por um custo baixo.

Ele explicou também que a mistura de apenas 10% do novo combustível , que gera redução de 9% na poluição, é decorrente da escassez do produto, fornecido pela empresa Amyris.

- Chegamos a fazer testes com a utilização de 100% do novo combustível e a redução de emissão de poluentes é de até 90%, mas isso depende da disponibilidade do produto. A Amyris está ampliando o volume de produção.

A chamada ecofrota, que começou a circular no início deste ano, inclui ainda 1.200 ônibus movidos com 20% de biodiesel, 50 ônibus movidos com etanol e 200 trólebus ecológicos, de acordo com a SPtrans.



Marcadores: cana-de-açúcar, cana, etanol, diesel de cana, biocombustíveis